quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Walachai aqui do lado e nos cinemas

Fica a mais ou menos 70 quilômetros de Porto Alegre, chama-se Walachai e a cineasta Rejane Zilles nasceu lá. Não só nasceu como viveu toda a infância, mas apenas aos 7 anos de idade foi aprender o português que "nós" conhecemos - muitos "deles" não. Afinal, em comunidades rurais como Walachai, Jamerthal, Batatenthal, Padre Eterno e Frankenthal, todos pertencentes ao município de Morro Reuter, se fala um antigo dialeto hoje raro até na Alemanha. Rejane, que há muito tempo vive no Rio de Janeiro, ainda fala esse dialeto e mantém laços familiares com a comunidade.
Com o proposito de desvendar esse pedaço escondido do Brasil é que a diretora filmou em 2009 o documentário Walachai, um apanhado de 84 minutos das 40 horas de material filmadas pela produção do longa.  O documentário dá continuidade a um curta-metragem de 2007 de Rejane Zilles: O livro de Walachai, que mostra a história do agricultor que escreveu à mão um livro contando a história do povoado.
Walachai já passou por diversos festivais pelo mundo e finalmente está prestes a entrar no circuito comercial. A partir de 18 de Novembro entra em cartaz em Porto Alegre, no Unibanco Arteplex e na Cinemateca Paulo Amorim. Em março do ano que vem o documentário deve figurar em salas de cinema das principais cidades do Brasil.
Na rede é possível assistir ao curta de 2007.

Um comentário:

  1. Legal, um resgate da forte cultura alemã no trópico sulbrasileiro !

    ResponderExcluir