quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Equipe colorada treinada por Clemer tem identidade


Novo Hamburgo e Internacional fizeram bom jogo de futebol na noite desta quarta-feira no Estádio do Vale. A equipe de garotos treinada por Clemer fez 2 a 1 e alcançou a segunda vitória no Gauchão. Feito importante, pois o Inter vai construindo uma gordura interessante enquanto não utiliza seu plantel principal na competição - algo que deve acontecer a partir da quarta rodada.

Se o chamado sub-23 colorado não dá espetáculo, se mostra, ao menos, um time bem orientado. No habitual 4-2-3-1, o Internacional correu certo a maior parte do tempo, soube ser viril contra um time forte fisicamente e mais experiente no estadual. O Colorado teve o controle técnico e tático na primeira etapa, quando abriu o 2 a 0. Pecou na falta de verticalidade, afinal chegou aos gols e jogadas decorrentes de bolas paradas, poderia ter aproveitado melhor a posse de bola. A equipe sentiu falta de uma noite mais inspirada de seus três meias: Reis, pela direita; Alex, pelo meio; Fábio Baiano, ela esquerda.

Numa segunda etapa de mudanças táticas no NH e de um crescimento na intensidade do ataque adversário, o time de Clemer sofreu no início e no final com uma pressão normal em jogos fora de casa. E a equipe mais uma vez se portou bem. Sem brilhantismo, sem craques, mas com empenho e disposição tática. O Inter soube jogar com as circunstâncias exigidas. O Inter parece ter identidade, uma maneira bem definida de jogar e ainda conta com razoáveis soluções individuais. E nessa largada, a mais destacada delas é mesmo Cláudio Winck.

Nenhum comentário:

Postar um comentário